Escolha uma Página
Identidade visual: porque devo ter uma

Identidade visual: porque devo ter uma

        A princípio pode parecer que é simples entender o conceito de identidade visual, entretanto, é um tema que envolve desde o logotipo até as formas de impressões.

            Já parou para pensar por que grandes marcas são facilmente reconhecidas? Coca-Cola, McDonalds, AmBev, Disney e tantas outras possuem em comum um ponto importante. A identidade visual. Quando dizemos que essas marcas possuem identidade visual, queremos dizer que elas são estruturadas no que se refere aos conjuntos visuais que compõem a marca.

       Para se estruturar a identidade visual, deve-se levar em conta diversos elementos. Segundo o InMarket, logotipo, consistência visual, paleta de cores e conteúdo são os principais componentes de uma identidade visual. Basicamente, tudo aquilo que remete a marca pode ser considerado parte da sua identidade.

Por que é importante a identidade visual?

         Estruturar uma identidade é essencial para que a empresa tenha um posicionamento no mercado. E assim, seja reconhecida no segmento. Isso permite um relacionamento mais íntimo dos consumidores com a marca, fortalecendo a presença da mesma.

           Além desse fortalecimento, a identidade visual permite que a marca mantenha suas características independente do meio que estiver, seja ele online ou offline. Isso quer dizer que não importa se a marca está no Facebook ou em um outdoor, ela irá manter sua identidade. E manter sua identidade quer dizer que ela será reconhecida por seu público aonde quer que ela esteja presente.

Mas como construir uma?

           Segundo o We Do Logo, deve-se considerar diversos fatores para construir a identidade. Como citado anteriormente, é importante considerar como o logo irá se apresentar em diversos meios. Portanto, tanto impresso como digital,  ele deve manter suas características bem definidas.

             Como cada cor possui um significado próprio, deve-se considerá-los antes de definir quais cores serão usadas no logo, de forma a aproveitar ao máximo o que ela significa. O mais importante nesse processo, é entender o seu público alvo. Já que ele irá direcionar as decisões para a criação do logo.

            Já para a logomarca, para se criar uma identidade visual é preciso seguir quatro etapas. Planejamento, idealização, visualização e terceirização.

       Planejar significa entender seu público alvo e quais serviços ou produtos sua empresa oferece, e assim, esboçar ideias que darão seguimento a fase seguinte. Idealizar envolve a criação e amadurecimento de ideias sobre o logo, cores, frases, enfim, tudo o que será parte da identidade visual. Visualização é o momento que o logo é definitivamente construído, com todos os elementos que o compõem. Como a construção de uma identidade visual envolve conceitos técnicos, sugere-se que terceirize este trabalho para profissionais capacitados.

Como nós podemos ajudar?

     Contate nossos consultores para uma análise personalizada das necessidades do seu empreendimento. E quem sabe nós não podemos te ajudar para criar uma identidade que represente a sua empresa?

Web: sua expansão e os sites

Web: sua expansão e os sites

      Desde que a internet surgiu, em 1969, ela foi desenvolvendo-se cada vez mais, até ser o que é hoje. O que conhecemos hoje como internet, é resultado de um processo que levou anos. E no no meio deste processo está o desenvolvimento da linguagem de marcação HTML, que permitiu o avanço da World Wide Web.

Mas porque falar de HTML e World Wide Web?

     O World Wide Web é o popularmente conhecido www. Ele aparece antes dos sites que acessamos diariamente. Esse projeto, idealizado pelo britânico Tim Bernes-Lee, possibilitou “um novo formato em que usuários poderiam explorar documentos gráficos interligados por hypertexto”, segundo o TecMundo.

      O hypertexto é o HTML. Ele é a linguagem de marcação que será interpretada pelo navegador, como o Chrome e o Safari. Após a interpretação, o que vemos é o site que queremos acessar. Diante disso, percebe-se a importância dessas duas tecnologias. Portante, sem elas, a internet seria muito diferente do que a estamos acostumados.

Certo, mas precisava entender isso para ter um site na web?

     A resposta mais simplista é NÃO! Você não precisar entender de HTML, JavaScript ou qualquer outra linguagem para ter um site.

       Hoje em dia, 1 em cada 3 sites são feitos em WordPress, de acordo com W3Techs. O WordPress é uma ferramenta voltada para a construção de sites. Ele possui funcionalidades nativas que são essenciais para garantir um bom funcionamento do site, como por exemplo, a conexão com um servidor.

    Porém, se considerar que conhecer a ferramenta permite entender melhor como ela funciona e aproveitar o máximo que ela tem a oferecer, então sim, é ESSENCIAL entender o que é HTML e como ele e o WWW transformaram nosso mundo e nosso dia a dia.

Qual a importância da minha empresa ter um site?

        Segundo dados do IBGE 2016, somente no Brasil há 116 milhões de pessoas conectadas a internet. E o principal dispositivo para acessar a rede é o celular. Com essa informação, percebe-se que ter um site que divulga o produto ou serviço da sua empresa na internet é essencial. Considerando que cada vez mais, a internet está em expansão.

        Além de parte do público alvo se encontrar online, ter um site é parte de uma estratégia de marketing.

     O Google Ads e o Google Analytics são ferramentas do Google. E ambas auxiliam na estratégia de marketing de uma empresa. E elas precisam obrigatoriamente de um site para serem bem aplicadas e executadas. Uma vez que com os dados que elas oferecem, o marketing digital pode ser trabalhado de uma forma mais precisa para atingir os clientes em potencial.

      Sendo assim, sua empresa tendo um site, permite que informações importantes sobre ela estejam disponíveis para o cliente. Telefone, e-mail, localização, produtos ou serviços oferecidos, entre outros dados devem ser disponibilizados para os visitantes do site de forma clara.

     Indo além, a empresa que deseja divulgar seus serviços ou/e produtos pode usar o site como um portfólio. Portanto, o site pode conter informações como uma breve descrição do produto ou serviço, podendo ser seguido de uma foto ilustrativa. Através do site também é possível um contato de forma mais fácil, caso o cliente queira tirar alguma dúvida ou se comunicar com a empresa de forma mais rápida.

Como nós podemos ajudar?

     Nós da Uni-FACEF Júnior oferecemos o projeto de desenvolvimento de site.  Pensando em ajudar você a ter um site incrível que potencialize seus resultados online.

     Entre em contato para receber um diagnóstico gratuito.

Nuvem: por que a utilizar nas empresas?

Nuvem: por que a utilizar nas empresas?

            Provavelmente você está lendo este texto através um serviço em nuvem. E mais provavelmente ainda, você depende dela para o seu dia a dia.

        Pense em todos os aplicativos e sites que acessa ao longo de um dia. Vamos lá, com toda certeza, você entra no Google. Seja para pesquisar sobre o clima, localização, ler alguma notícia, enfim. De qualquer modo, você acaba acessando algum serviço do Google em determinado momento do seu dia.

      Tudo bem, você pode estar pensando “mas eu não acessei o Google hoje de forma alguma! Eu só entrei no Facebook e no Instagram”. Então, essas duas redes sociais, também fazem uso da nuvem.Da mesma forma que o WhatsApp e o Twitter, e a maioria dos apps que você tem instalado no seu celular.

       Diante disso, deu para entender que atualmente, com o estilo de vida que temos, é improvável que você passe um dia inteiro sem acessar nenhum serviço que esteja na nuvem. Porém, o que realmente quer dizer o termo computação em nuvem?

A computação em nuvem

         O termo vem do inglês cloud computing, e é uma das tecnologias mais promissoras da atualidade.

        Essa promessa da tecnologia mostra a expansão do uso nos números referentes a ela. De acordo com um estudo da BSA , em um período de dois anos o Brasil teve um salto no ranking de 24 países que possuem políticas voltadas para a computação em nuvem. Portanto, da 22º posição em 2016, o Brasil se posiciona agora na 18º colocação.

     Além desses investimentos no Brasil, uma pesquisa da IDC revelou que o valor arrecadado com a tecnologia foi de 16,8 bilhões de dólares no terceiro trimestre de 2018. E esse número representa o total arrecadado dos dois tipos de nuvem, a pública e a privada. Já de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), no ano de 2017 a tecnologia da cloud computing atingiu em média R$ 4,4 bilhões no Brasil. 

A nuvem no cotidiano empresarial

     Em um ambiente empresarial, é muito comum a utilização de documentos, como contratos e propostas; planilhas, para fluxo de caixa e controle de produtos. Além desses, usa-se muito também programas para a montagem de apresentações, como por exemplo, uma apresentação de uma nova linha.

        Todas as atividades descritas acima, podem ser realizadas em softwares conhecidos no mercado. A edição de textos pode ser feita pelo Microsoft Word e Google Docs, sendo o segundo integralmente um serviço disponibilizado na nuvem. O Word possui a versão desktop, ou seja, para instalar no seu computador, e a em nuvem, que permite uma sincronização automática entre os documentos salvos na sua conta, que serão automaticamente atualizados em todos os dispositivos nos quais a conta está logada.

        Assim como o exemplo citado anteriormente, grande parte dos serviços utilizados possuem ao menos parte dele na nuvem. Mas por que?

      Primeiramente, a comodidade de ter seus arquivos salvos automaticamente em todos os dispositivos, sem a necessidade de trocar manualmente o arquivo a cada alteração. A disponibilidade a todo o momento de ter os documentos ao seu alcance, sendo preciso apenas a conexão com a internet. A facilidade de compartilhamento com outras pessoas, e além disso, o compartilhamento através de outros aplicativos.

       Para concluir os benefícios de se adotar a nuvem, de acordo com o Google Cloud, os maiores benefícios para uma empresa adotar a computação em nuvem são:

  • Foco na transformação digital.
  • Big Data para melhores decisões.
  • Uso da IA (inteligência artificial).
  • O domínio da Internet das Coisas (IoT).
  • Revolução nos departamentos de TI.
  • Segurança.
O Marketing Digital para a sua empresa

O Marketing Digital para a sua empresa

         O marketing digital possibilita colocar sua empresa no topo dos resultados de busca da internet, bem como, em destaque nas redes sociais. Com um bom planejamento do marketing digital e o uso das ferramentas adequadas, isso é possível com um custo muito abaixo do que você imagina.

        A importância do marketing digital para sua empresa está em fazer com que ela “exista” online, de forma que ela esteja nas mídias sociais. Essa presença digital aumenta as chances de visibilidade da empresa. Segundo o próprio Instagram, há mais de 1 bilhão de usuários ativos. Diante desse dado, o Instagram  passa a ser uma ferramenta estratégica de marketing.

          Portanto, um planejamento de marketing digital realizado com qualidade permite que a segmentação de seu público seja bem trabalhada. Ou seja, seu negócio fará interações com potenciais consumidores. E esses, são o que chamamos de leads.

Quais os benefícios do investimento em marketing digital?

          Dentre as vantagens do investimento desse investimento, há o baixo custo se comparado ao gasto com mídias offline tradicionais. Cartazes impressos, outdoors e anúncios em periódicos ou televisão possuem custo elevado. Por sua vez, o ambiente digital permite o uso de diversas ferramentas gratuitas. E aquelas que são pagas, têm custo acessível. Dessa forma, a empresa investirá de acordo com sua disponibilidade orçamentária.

         Entre as várias ferramentas disponíveis, uma ferramenta muito utilizada é o Google Ads, que são os anúncios exibidos pelo Google quando se busca por algo. Eles se situam entre os primeiros resultados da página, o que proporciona um destaque para a divulgação da empresa. O próprio Facebook conta com ferramentas de marketing, como o impulsionamento de publicações e a disponibilização de informações sobre o envolvimento da postagem.

          Mas por que essas ferramentas são tão essenciais? Simples, porque elas retornam informações valiosas para a empresa. Assim, a análise dos dados que geram torna possível entender como se comporta a persona alvo. Além de muitas ferramentas trazerem gráficos e planilhas que possibilitam a mensuração dos dados. Por exemplo, consegue-se saber exatamente o número de acesso que determinada página teve.

          Além disso, ferramentas de web analytics são utilizadas para mensurar os detalhes dos resultados das estratégias de marketing digital, permitindo a readequação das estratégias a qualquer momento da campanha. E isso é ótimo, pois permite a otimização das estratégias e investimento.

Mas afinal, o marketing digital é tão importante assim para um negócio?

         Deve-se entender o marketing digital como uma oportunidade para crescer e estabelecer seu negócio nos meios digitais. Mas de nada adianta estar online, mas não dialogar com o público correto. Caso isso acontecer, a conversão em vendas e fechamento de negócios não será efetiva.

        E para evitar um marketing digital ineficiente, é essencial manter um relacionamento e fidelização com o público correto. A partir das estratégias estabelecidas é possível, não só comunicar-se com o público alvo, mas também no horário e da maneira que mais eficaz.

Como nós podemos ajudar?

          A Uni-FACEF Júnior oferece projetos de consultoria em marketing digital, de forma a potencializar seus resultados.

         Contate nossos consultores para uma análise personalizada das necessidades do seu negócio.

 

Quer receber conteúdo exclusivo?

Cadastre-se aqui e receba materiais sobre gestão empresarial feito pensando em você!.

Cadastre-se

9 + 9 =

Leads: Por que um negócio precisa deles

Leads: Por que um negócio precisa deles

          Entenda o que são leads e como ele é essencial para garantir um funil de vendas efetivo para o seu negócio.

                   Com o crescimento das mídias sociais nos últimos anos, termos relacionados ao marketing digital são frequentes no dia a dia de empresas que querem se estabelecer neste meio. Algo que se discute muito, é sobre leads.

                   Muito se diz também sobre a importância do marketing digital. Para conhecer um pouco mais, acesse este link: xxxxxxxx.

Mas afinal, por que se discute tanto sobre leads?

                  Segundo a Resultados Digitais, “um lead é uma oportunidade de negócio para a empresa”.  Porém, o que significa isso?

               Leads são considerados oportunidades de negócio por deixarem forma de contato em troca de algo. O que é geralmente um conteúdo de valor para ele. Portanto, empresas que consideram e aplicam a estratégia do marketing de conteúdo voltado para a captação de leads, tendem a ter um número significativo de pessoas que deixam forma de contato como permuta para adquirirem um conteúdo considerado interessante e útil.

              Esta troca de informações possibilita à empresa gerenciar e alimentar o funil de vendas. Portanto, o objetivo com os leads é que ao final do processo de venda, eles se tornem clientes efetivos. Ou seja, consumidores e futuros fãs da empresa.

Onde eles se encaixam no funil de vendas?

             Os leads estão no topo do funil, pois é a partir deles que o processo de vendas será feito.

             Basicamente, o funil tradicional se estrutura em três segmentos. Visitantes, que são usuários que acessaram seus conteúdos sem interagirem. Leads, que interagiram e deixaram forma de contato para isso. E os clientes, que são os que efetivamente se identificaram com a sua solução proposta, e assim passaram a consumir seu serviço ou produto.

        Portanto, o funil de vendas é essencial, além de organizar o processo de vendas, para otimizar a gestão dos leads. Nem todos estão preparados para o momento da efetivação das vendas, e por isso cada lead deve ser nutrido até que ele esteja nesta etapa.

O que quer dizer nutrir leads?

              Quando se diz sobre nutrir leads, está referindo-se a oferecer materiais interessantes e de relevância para ele. Estes conteúdos podem variar, desde artigos do blog, webinars, templates e até mesmo uma newsletter.

             Como dito anteriormente, nem todos encontram-se no mesmo momento de venda, portanto, cada um deve receber materiais que atendam as necessidades para o momento em que se encontra. Para a Rock Content, “se a estratégia [de nutrição de leads] for bem montada, você conseguirá reforçar a relação de confiança com sua lead e orientá-la para a próxima etapa, que será o processo de vendas”.

Como nós podemos ajudar?

          A Uni-FACEF Júnior oferece projetos de consultoria em marketing digital, de forma a potencializar seus resultados.

          Contate nossos consultores para uma análise personalizada das necessidades do seu negócio.

Artes: como as criar para as redes sociais

Artes: como as criar para as redes sociais

             Em algum momento, já passou por alguma situação que precisou criar artes e não sabia? E ainda não conhecia ninguém que trabalhava com criação de artes? É nesses momentos que ferramentas de edição são nossas melhores amigas.

           Então, você já imaginou qual seria o impacto que as artes das publicações tem em relação ao desempenho das mesmas? Para trabalhar o marketing digital, é importante que as postagens sejam visualmente atraentes para quem está vendo. Isso irá atrair a atenção do expectador. Se uma imagem não é atrativa visualmente, muito provavelmente quem a viu não irá parar o feed para ler o texto que acompanha a foto. E é nesse momento que se perde a oportunidade de gerar mais clientes ou transmitir uma informação relevante.

          Um levantamento feito pelo BuzzSumo, demonstrou que quando um post do Facebook vem acompanhado de uma imagem, ele possui em média 2,3 vezes mais engajamento do que apenas o texto publicado sozinho. Diante dessa informação, é inegável a importância que as artes tem no sucesso de uma publicação.

Mas como irei criar artes para meus posts?

            A criação de artes pode parecer, a princípio, simples. Porém, às vezes, envolve mais do que escolher uma imagem e adicionar uma frase por cima.

           Atualmente, há diversas ferramentas voltadas para edição e tratamento de imagens, sendo as mais conhecidas o Photoshop eCorelDraw, entretanto, são programas que exigem um nível de experiência maior do que outros editores, que serão apresentados a seguir.

           Há outras ferramentas que são mais voltadas para aqueles que precisam editar imagens, mas que não possuem habilidade técnica para utilizar um software de edição de imagem. Entre as mais populares, estão o Canva e o Adobe Spark. E ambos possuem versões gratuitas. 

            O Canva e o Spark são mais do que apenas editores de imagens, eles servem também como um repositório de ideias e inspirações para suas criações. Ambos oferecem também tutoriais. Por isso, eles auxiliam como utilizar as ferramentas para fazer suas criações da forma mais prática.

Como sei o tamanho da arte para o Facebook Instagram?

       Considerar o tamanho das imagens é essencial para ter o enquadramento mais adequado possível. Isso significa que se deve atentar para o tamanho das artes. Já que assim todos os elementos da imagem estarão visíveis.

        O tamanho depende de qual mídia social irá usar para a publicação, e qual será a finalidade dela.

        Portanto, supondo que a rede social seja o Facebook, deve considerar se a arte será para foto de capa ou post, já que cada um possui suas dimensões. Caso não se atente a esse detalhe, provavelmente a imagem será cortada ou “esticada”. Isso será necessário para ela encaixar no formato padrão. Entretanto, as ferramentas Canva e Spark oferecem ao usuário a possibilidade de determinar o tamanho apenas clicando no que deseja, ou seja, se deseja uma arte para o Instagram, basta clicar em “Instagram post”.

Então, para meu post ter engajamento, basta adicionar artes?

               A resposta não é um simples “sim” ou “não”.

             Como citado anteriormente, uma imagem pode dobrar o engajamento de uma publicação. Mas deve-se levar em consideração que uma arte bem feita não é o único fator de peso para que uma postagem seja considerada bem sucedida no quesito engajamento. O horário de publicação, interação da página com o público, frequência de postagem e conteúdo disponibilizado influenciam tanto quanto uma imagem.

           Pode parecer muitos quesitos a serem considerados para apenas postar uma arte. Entretanto, nos dias atuais, com o crescimento das redes sociais e da internet, o que vem se destacando é o marketing digital. Ele envolve esses fatores para traçar uma estratégia, de forma a posicionar a empresa no meio online.

             Para conhecer um pouco mais sobre a importância do marketing digital acesse: link do outro texto.

Como nós podemos ajudar? 

             Contate nossos consultores para uma análise personalizada das necessidades do seu empreendimento. E quem sabe nós não podemos te ajudar com a criação de artes? Assim podemos tornar seu negócio ainda melhor.

Quer receber conteúdo exclusivo, cadastre-se aqui e receba o  melhor material sobre gestão de empresas.

Cadastre-se

5 + 2 =